Projetos de Pesquisa

PROJETOSEM ANDAMENTO

2010 - Atual

Mosquitos da Caatinga

Descrição:A Caatinga corresponde ao Bioma brasileiro menos conservado em relação a sua área total, além de ser um dos quais o conhecimento acerca da biodiversidade é menor. Neste contexto este o objetivo deste projeto é realizar levantamento da fauna Culicidae no Bioma Caatinga, de forma a descrever a riqueza e a abundância em espécies. Além disso, serão também estudados aspectos da biologia das espécies de mosquitos, como os locais de oviposição, com ênfase nas bromélias, e estratégia de sobrevivência no período do estio; relações entre as populações de mosquitos e variáveis climáticas; circulação viral e análises biomorfológicas e genéticas. Para tanto serão realizadas coletas sistemáticas, durante dois anos, em três áreas de preservação integral no semiárido, sendo uma em Sergipe, uma na Bahia e a outra no Rio grande do Norte. Serão coletadas formas adultas e imaturas. As espécies de interesse médico serão estudadas com relação à estrutura genética, por seqüenciamento de DNA mitocondrial, infecção natural por arbovírus, utilizando RT-PCR, e morfometria das asas e genitálias. Com essas ferramentas serão analisadas variações morfológicas e genéticas entre espécies de ampla distribuição e espécies novas serão descritas. O projeto conta com a participação de duas equipes emergentes no Nordeste, todavia com pesquisadores com sólida formação na área, e um laboratório de excelência no Sudeste, o que garantirá o fortalecimento das equipes novas e a consolidação da colaboração entre grupos de pesquisa afins.

Integrantes: Maria Anice Mureb Sallum - Integrante / Leticia Silva Marteis - Integrante / Lizandra Makowski Steffler - Integrante / Renata Antonaci Gama - Integrante / Silvio Santana Dolabella - Integrante / Luciene Barbosa - Integrante / Satie Katagiri - Integrante / Maria de Fatima Freire de Melo Ximenes - Integrante / Daíse Maria Cunha de Sousa - Integrante / Tatiane Marques Porangaba de Oliveira - Integrante / Jose Verissimo Fernandes - Integrante / Mário Sérgio Duarte Branco - Integrante / Edilson Divino de Araújo - Integrante / Josélio Maria Galvão de Araújo - Integrante / Renato César de Melo Freire - Integrante / Roseli La Corte dos Santos - Coordenadora.

2012 - Atual

Infecção Cerebral Experimental por Acanthamoeba castellani

Descrição: Estudar a patogenicidade das amebas de vida livre quando estas se tornam patogênicas é de suma importância, pois apesar do número de casos de infecção cerebral por estas amebas ser pequeno, observa-se uma elevada mortalidade. Tem-se observado também que as amebas patogênicas exibem características como aumento da aderência celular, poder de invasão e destruição de tecidos com grande potencial em relação aquelas não patogênicas.O uso de modelos de animais para o estudo da infecção por Acanthamoeba é reduzido. Culbertson et al. foram os primeiros a fazer esse tipo de estudo, chegando a conclusão de que estas amebas causam uma extensiva coriomeningite e encefalomielite destrutiva em camundongos e macacos, enquanto outros estudos com modelos in vivo testaram apenas a virulência de certas cepas de Acanthamoeba. Portanto, é muito relevante o uso de animais para estudo mais detalhado dos mecanismos pelos quais estas amebas danificam o tecido cerebral quando da invasão. Por isso, estudos que visem à elucidação dos mecanismos moleculares dessa patogenicidade devem ser realizados, assim como o estudo dos efeitos diretos dessas amebas sobre o SNC precisa ser realizado para que se possa criar medidas terapêuticas, imunoterapêuticas ou diagnósticos eficazes, capazes de diminuir a alta letalidade das infecções por estes seres.

Integrantes: Silvio Santana Dolabella - Coordenador / Roseli La Corte dos Santos - Integrante / Israel Gomes de Amorim Santos - Integrante / Waldecy de Lucca Jr. - Integrante.

2012 - Atual

Pesquisa e Genotipagem do Papilomavirus Humano (HPV) em Lesões Presentes na Cavidade Oral de Usuários de Crack do Estado de Sergipe

Descrição: A infecção por HPV é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns no mundo. Relacionada ao desenvolvimento de lesões neoplásicas, tem seu papel em lesões cervicais como algo bem-definido. Porém, os resultados de estudos que avaliam a correlação entre o HPV e sua genotipagem com diversas lesões orais permanecem muitas vezes inconclusivos por serem controversos. Acredita-se que isso se deva, principalmente, a variações na sensibilidade e especificidade dos métodos empregados e a números reduzidos de pacientes analisados. Tendo isso em vista, faz-se necessária a realização de novos estudos buscando uma melhor compreensão da relação entre o desenvolvimento de lesões orais e a infecção por HPV. Há uma ausência de estudos que avaliem a relação entre o crack e o câncer oral e, principalmente, que analisem se há correlação entre a presença de HPV e maior incidência de lesões em usuários desta droga. Porém, o consumo do crack cresce marcadamente e a exposição de seus usuários a fatores de risco para o desenvolvimento de câncer oral está cada vez mais. Uma maior compreensão da associação entre HPV e câncer oral em usuários de crack auxiliaria de maneira significativa uma prevenção do agravo dessas lesões, principalmente pelo acompanhamento e tratamento precoces. Esses fatores fazem com que pesquisas nesse sentido necessitem ser realizadas, contribuindo para a redução dos males trazidos pela associação de dois problemas de saúde pública: o crack e a infecção por HPV.

Integrantes: Silvio Santana Dolabella - Coordenador / Roseli La Corte dos Santos - Integrante / Mariana Goveia Melo Ribeiro - Integrante / Alexandre Shelley - Integrante.

2012- Atual

Pesquisa de amebas de vida livre (AVL) potencialmente patogênicas em hospitais e ambientes aquáticos do Estado de Sergipe

Descrição: Espécies do gênero Acanthamoeba, Naegleria e Balamuthia pertencem a um grupo de amebas classificadas como amebas de vida livre (AVL) potencialmente patogênicas, sendo encontradas nos mais variados ambientes como solo, água, ar. No homem podem ocasionar infecções do sistema nervoso central, lesões de córnea e cutânea, principalmente em indivíduos imunocomprometidos como é comum em ambientes hospitalares. Como não se conhece a incidência dessas amebas em ambientes hospitalares da cidade de Aracaju/SE e tampouco em ambientes aquáticos do Estado de Sergipe, nosso trabalho tem como objetivo avaliar a ocorrência de amebas de vida livre em ambientes fechados de três hospitais públicos da cidade de Aracaju e também em coleções aquáticas do Estado de Sergipe, como lagos, lagoas e açudes.

Integrantes: Silvio Santana Dolabella - Coordenador / Roseli La Corte dos Santos - Integrante / Gabriel Isaias Lee Tunon - Integrante. Financiador(es): Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe - Auxílio financeiro.

2012 - Atual

Epidemiologia e Biologia de Parasitos e Vetores de Relevância para a Região Nordeste do Brasil

Descrição: A presente proposta objetiva aumentar esta interação científica e favorecer a formação de novos cientistas melhorando os recursos acadêmicos e tecnológicos disponíveis aos discentes e docentes do PROBP (Programa de Pós-Graduação em Biologia Parasitária). Essa união trará frutos positivos no entendimento das doenças tropicais, negligenciadas aqui em estudo, pois favorecerá a união de conhecimentos básicos e clínicos, podendo gerar novas armas para diagnóstico, prognóstico e tratamento dessas doenças.

Integrantes: Silvio Santana Dolabella - Coordenador / Roseli La Corte dos Santos - Integrante / Karina Conceição Gomes Machado de Araujo - Integrante. Financiador(es): Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe.

2012 - Atual

Sistema de Informações Geográficas e Educação em Saúde em Áreas Endêmicas para Esquistossomose Mansoni da Região Metropolitana de Aracaju/SE

Descrição: Schistossoma mansoni é o agente etiológico da esquistossomose e é transmitido ao homem através do contato com águas infestadas por cercárias provenientes de caramujos infectados. No homem, o parasito se localiza no sistema vascular visceral, causando a esquistossomose mansoni, doença crônica e debilitante. A população infanto-juvenil, com idade entre 7 e 14 anos, está mais exposta à esquistossomose e isso se deve pelo maior contato com água em atividades recreativas nos rios, principalmente em áreas menos desenvolvidas, onde são poucas as opções de lazer. A esquistossomose mansoni não se deve apenas à permanência dos caramujos e de pessoas doentes em determinado local, mas aos hábitos e costumes da população, que favorecem a transmissão através da poluição fecal do solo e das águas. Em Sergipe, segundo a Secretaria Estadual de Saúde o número de casos de esquistossomose de 2002 a 2008 foi de 65.606 casos, com uma das maiores prevalências do país. A parceria universidade-comunidade tende a ser um meio eficiente para a implantação de medidas de combate às parasitoses. Assim, esse trabalho se justifica pelo fato de que na falta de saneamento básico, somente as medidas de controle existentes como controle de hospedeiros intermediários e tratamento dos doentes não resolvem o problema. Torna-se necessária a educação sanitária, principalmente entre a população infanto-juvenil, para que essa leve adiante, para seus familiares e futuros filhos bons hábitos de higiene e de comportamento em face dos criadouros dos hospedeiros intermediários. O presente projeto pretende conduzir ações pedagógicas em escolas públicas da região metropolitana de Aracaju, junto à comunidade mais afetada pela doença, ou seja, crianças e jovens em idade escolar, mostrando riscos, formas de prevenção e como ocorre a infecção, visando a disseminar esse conhecimento pela comunidade em que estão inseridos, formando uma geração de cidadãos conscientes dos problemas sanitários relacionados à doença.

Integrantes: Luciene Barbosa - Integrante / Satie Katagiri - Integrante / Karina Conceição Gomes Machado de Araújo - Coordenadora. Financiador(es): Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe - Auxílio financeiro.

2012 - Atual

Ocorrência de Larvas de Ancilostomídeos em Áreas de Lazer Públicas do Município de Aracaju, SE

Descrição: Considerando a alta prevalência de cães e gatos vadios que podem contaminar o solo de parques, praças públicas, praias e os fatores sócios econômicos em que a população de Aracaju está inserida, viu-se a necessidade de identificar a ocorrência de larva de ancilostomídeos em áreas públicas de Aracaju, muito utilizadas pela sociedade, a fim de que sejam elaborados recursos pedagógicos com o intuito de informar a população acerca dos riscos de infecção, bem como de desenvolver medidas profiláticas evitando-se, assim, a instalação desta parasitose no homem. Nesse projeto os alunos terão oportunidade de vivenciar a prática científica, elaboração de trabalhos e relatórios e realização de pesquisa em laboratório. Será uma oportunidade, também, de mantê-los em contato social, já que se pretendem elaborar ações educativas junto ao público frequentador das áreas de lazer objeto do estudo. Essas oportunidades irão conduzi-los ao longo de sua vida acadêmica em outros projetos de que venham a participar. O benefício à população é evidente, já que não se observam ações educativas e preventivas em relação a larva migrans. O grau de desinformação da sociedade é elevado. As ações previstas de elaboração de material educativo e de contato pessoal objetivam introduzir o assunto junto à população em geral.

Integrantes: Luciene Barbosa - Coordenadora / Satie Katagiri - Integrante / Karina Conceição Gomes Machado de Araújo.

PROJETOS FINALIZADOS

2010 - 2012

Avaliação da introdução de larvicida inibidor de crescimento em populações de Aedes aegypti resistentes ao temephós.

Descrição: Em virtude da problemática envolvendo o uso dos inseticidas convencionais para combate ao mosquito Aedes aegypti, este projeto propõe-se a monitorar o comportamento de populações locais do vetor quanto à aplicação do diflubenzuron, larvicida Regulador do Desenvolvimento dos Insetos que está em processo de substituição ao temephos em alguns municípios sergipanos. Além disso, diante do relato de resistência de Aedes aegypti ao organofosforado temephos em vários estados brasileiros e da importância do uso deste composto nos programas de controle da Dengue, este projeto propõe-se também a avaliar a susceptibilidade de larvas de Aedes aegypti do estado de Sergipe ao temephos nos municípios não monitorados pelo Ministério da Saúde visando à determinação da distribuição e do status de resistência.

Integrantes: Sócrates Cabral de Holanda Cavalcante - Integrante / Silvio Santana Dolabella - Integrante / Roseli La Corte dos Santos - Coordenador.

2010 – 2012

Desenvolvimento e avaliação de novas tecnologias e estratégias de vigilância e controle de Aedes aegypti no Brasil.

Descrição:O objetivo geral do projeto é o desenvolvimento e a avaliação de novos procedimentos, tecnologias e estratégias de vigilância e de controle de dengue no Brasil, por meio de ações voltadas principalmente ao combate ao vetor, Aedes aegypti. Para que este objetivo seja alcançado, foram planejadas várias metas específicas, classificadas em quatro eixos principais: resistência a inseticidas, biologia do vetor, alternativas de controle e comunição em saúde.

Integrantes: Sócrates Cabral de Holanda Cavalcante - Integrante / Denise Valle - Coordenador / Silvio Santana Dolabella - Integrante / Roseli La Corte dos Santos - Integrante.